JORNAL DAS AUTARQUIAS

Inscrito na E.R.C. sob o nº 125290

Setembro 2019 - Nº 143 - I Série - Guarda e Castelo Branco

Guarda e Castelo Branco

Entrevista do Presidente da Junta de Freguesia de Paul

Gabriel Simões Lopes Gouveia

J.A.- Que conclusões dos últimos resultados das eleições Europeias?
P.J.-Muita politiquice, e pouco de Europa.

J.A. – Valorize o sector primário e o turismo dessa freguesia?
P.J.-A localização no sopé da Serra de Estrela, ter hospitalidade, boa gastronomia e tem a ribeira Caia onde existe a melhor truta do mundo – a truta ‘’zebra’’.

J. A. – O aumento do desemprego gerou muita pobreza, como está essa freguesia a gerir esse problema?
P.J.-Não diria pobreza, mas sim desertificação.

J. A. – O que pensa sobre a violência doméstica, que ultimamente tem aumentado drasticamente no nosso país e qual a causa e efeito?
P.J.-É um flagelo que sempre existiu, só que hoje, mais divulgada.

J. A. – A delinquência infantil tanto no meio urbano como no escolar e neste momento um infeliz realidade. Fale-nos sobre esta situação.
P.J.-Falta de coragem de alguns pais no acompanhamento nas novas realidades.

J. A. – O que pensa sobre a violência gratuita que se está a gerar na nossa sociedade?
P.J.-É uma preocupação pela falta de respeito do homem pelo homem.

J. A. – Estando a população cada vez mais envelhecida e muita dela sem apoio familiar e recursos financeiros, que apoio presta a autarquia a esta realidade?
P.J.-Há total abertura no contacto com a população, estando a autarquia atenta aos reais problemas, resolvendo alguns e reencaminhando outros para as entidades competentes.

J.A.- Com a aproximação do tempo quente, Verão, que tipo de prevenção utilizada para minimizar danos como os que aconteceram em anos transactos?
P.J.-Tem-se alertado para a falta de investimento na prevenção no concelho de segurança municipal e tem-se sensibilizado a população para a limpeza de terrenos.

J.A.- Que apoios têm recebido do governo para colmatar esse flagelo, e qual o apoio dado às vitimas do mesmo?
P.J.-Um pequeno apoio na reposição de sinalética destruída pelos incêndios.

J. A. – Qual o maior problema com que essa freguesia se debate?
P.J.-Falta de iniciativa de criação de postos de trabalho.

J. A. – Que outros problemas necessitam de maior intervenção?
P.J.-Requalificação urbana e melhoramento nas redes viárias.

J. A. – Que perspectivas tem para o futuro da freguesia?
P.J.-Investimento nalguns sectores que criem atração turística.

J. A. – Qual a mensagem que leva às mais variadas reuniões e eventos? E porquê investir nessa freguesia?
P.J.-Além da situação geográfica privilegiada, temos uma riqueza cultural bastante rica, pelo que, sendo organizados, o sucedo virá por acréscimo.

J. A. – Como é a situação financeira dessa freguesia?
P.J.-Equilibrada, porque é bem gerida, e paga a todos os fornecedores a pronto pagamento.

J. A. – Qual o apoio que a Câmara presta às Juntas de Freguesia?
P.J.-Tem apoiado, sendo insuficiente. Mas conhecemos a herança pesada da Câmara.

J. A. – Que mensagem quer enviar à população da sua freguesia?
P.J.-Mais fácil que limpar, é não sujar, com o slogan ‘’Paul-Limpo’’.

J. A. – Como consegue gerir a absorvente vida de autarca com a vida familiar?
P.J.-Com sacrifício e determinação, acreditando que é possível fazer mais e melhor.

J. A. – Que mensagem quer deixar ao Jornal das Autarquias?
P.J.-Mensagem de bom sucesso no trabalho desenvolvido e a realizar.

Gabriel Simões Lopes Gouveia

Go top