Carta aberta do Presidente da União de Freguesias de Faro

Bruno Lage

Como sabemos, as freguesias constituem o pilar base da organização administrativa territorial do estado, zelando pela organização, planeamento e manutenção dos seus territórios. Têm a incumbência de promover e salvaguardar os interesses próprios das populações, em estreita articulação com o município.

A sua proximidade e facilidade de acesso aos cidadãos assume um referencial incontornável da sua atuação na resolução de problemas locais, quotidianos, concretos e urgentes, na representatividade democrática e na defesa dos interesses coletivos da comunidade. Ao mesmo tempo, as freguesias têm também contribuído sobretudo para o desenvolvimento regional, para o combate às assimetrias, para o progresso e desenvolvimento dos territórios e para o apoio sócio-cultural às populações locais.

Contudo, apesar de terem um papel determinante na contribuição da coesão social e territorial e de desenvolverem um trabalho essencial em vários segmentos em prol das populações, não é menos verdade que as ações e iniciativas executadas pelas freguesias são muitas vezes secundarizadas e mesmo desconhecidas por grande parte da população.

Neste sentido, é importante a oportunidade dada pelo Jornal Autarquias na divulgação do trabalho desenvolvido pelas Juntas de Freguesia de forma a dar a conhecer aos cidadãos o trabalho e as principais atividades levadas a cabo por estas autarquias.

No início de 2020 muitas Juntas de Freguesia assumiram novas competências, fruto da reforma administrativa contemplada na Lei n.º 50/2018, concretizando os princípios da subsidiariedade, da descentralização administrativa e da autonomia do poder local.

Nesta matéria, destaco pela União das Freguesias de Faro, a manutenção dos jardins e espaços verdes da cidade. Para isso criámos equipas próprias de trabalho e apetrechámo-nos com o material adequado, dando ao mesmo tempo formação apropriada aos nossos colaboradores para melhorarmos o bem-estar, a qualidade de vida e oferecer mais e melhores serviços à população.

Este período tem-se revestido por muito trabalho, rigor e vontade de fazer mas o mais importante é que nos saibamos ajustar, adaptar, reinventar para que, a nossa freguesia, continue a criar condições para um desenvolvimento mais sustentável, coeso e equilibrado.

Para isso conto com uma equipa de qualidade, protagonista de uma nova forma de interagir e de fazer as coisas. Acreditamos na política de proximidade e definimos a autarquia como parte de um projeto de uma sociedade mais justa e solidária, sempre numa estratégia de trabalho em rede sem nunca esquecer que todos juntos somos mais fortes.

Go top