Entrevista do Presidente da União de Freguesias de Estremoz

Pedro Manuel Lopes Ramalho

J.A.- O turismo e o sector primário são valorizados nessa autarquia?
PUF. -Sim! O turismo contribui, para a dinamização diversificação e modernização local, isso porque o consumo turístico se caracteriza pela sua heterogeneidade e arrasta simultaneamente, de forma direta ou indireta distintos setores.
O tradicional mercado de sábado, em Estremoz atrai milhares de pessoas semanalmente. Dadas as suas características ímpares, este mercado de produtos tradicionais e até mesmo de velharias. Temos tudo para apostar nestes setores de forma integrada.
Bonecos de Estremoz são Património da Humanidade.

J.A-As medidas já tomadas pelo Governo contra a violência doméstica, serão suficientes para atenuar esse flagelo?
PUF. Certamente, que se pode fazer sempre mais. Contudo, estamos no bom caminho. O programa do governo aponta várias medidas no combate à violência doméstica. A sociedade tem um papel preponderante a fazer para que esse flagelo possa vir um dia a ser irradiado. Cabe a cada um cumprir com a sua quota parte.

J.A.- Que recursos financeiros necessitam as populações mais enfraquecidas (a vários níveis) nessa autarquia?
PUF. Nesta autarquia como em todas necessitamos de serviços que deveriam beneficiar das experiências existentes e que existem com sucesso, nomeadamente do investimento do apoio a medidas para a integração profissional e a manutenção de postos de trabalho.

J.A.- O que pensa sobre as medidas tomadas pelo governo sobre o Covid 19 e sua vacinação?
PUF. Perante tudo aquilo que não dominamos foram as medidas corretas e conscientes para quem tem como objetivo o bem comum. Se cada um fizer a sua parte, dentro das suas possibilidades controlaremos o que está em causa.

J.A.- Que medidas pensa tomar durante este novo mandato?
PUF. Capacidade ilimitada para gerir recursos escassos.
Apelo instante de satisfação de novas necessidades.

J.A.- que problemas mais prementes necessitam de intervenção rápida nessa autarquia?
PUF. Temos necessidade de implementar a rede de saneamento nalgumas zonas da Freguesia. Temos o problema transversal ao interior, a questão do envelhecimento da população e a fixação das pessoas. Temos necessidade de implementar um Parque Urbano e interjecional, no sentido de proporcionar à população espaços para usufruir entre os mais novos e os menos jovens. Queremos uma participação mais ativa dos cidadãos com vista a uma mudança, à inovação e modernidade da Freguesia.

J.A.-Como está a situação financeira da autarquia neste novo mandato?
PUF. Vamos vivendo! A situação financeira atualmente é tranquila. As Freguesias sempre foram e continuam o parente pobre da família.

J.A.-A câmara presta apoio às juntas de freguesia?
PUF. -Sim! Naturalmente, que queremos sempre mais…

J.A.-Que mensagem quer transmitir à população da sua autarquia?
PUF. Que o ato da política de governação é o ato de fazer escolhas. Queremos que no final do mandato no deve e haver que o número de escolhas de sucesso, sejam em maior número.

J.A.- O Jornal das Autarquias existe desde 2007! Quer deixar-nos a sua opinião sobre o trabalho do mesmo?
PUF. Obrigado por existirem. Felicidades e sucesso para o futuro. Bem hajam!

Go top