Entrevista do Presidente da Junta de Freguesia de Pardais

Manuela de Jesus Pinto Raminhos

J.A.- O turismo e o sector primário são valorizados nessa autarquia?
P.J.- Sim.

J.A-As medidas já tomadas pelo Governo contra a violência doméstica, serão suficientes para atenuar esse flagelo?
P.J.- Não.

J.A.- Que recursos financeiros necessitam as populações mais enfraquecidas (a vários níveis) nessa autarquia?
P.J.- As famílias com carências sócio-económicas necessitam obviamente de recursos financeiros de forma a assegurar a sua sobrevivência, ao nível alimentar, de habitação, vestuário e medicamentos.

J.A.- O que pensa sobre as medidas tomadas pelo governo sobre o Covid 19 e sua vacinação?
P.J.- As medidas foram-se adaptando às necessidades do quotidiano de acordo com o conhecimento que se ia adquirindo.

J.A.- Que medidas pensa tomar durante este novo mandato?
P.J.- No que diz a quê? Qual o assunto?

J.A.- Que problemas mais prementes necessitam de intervenção rápida nessa autarquia?
P.J.- Necessitamos de resolver problemas em várias áreas, nomeadamente ao nível da fixação de população na freguesia, criação de habitação, postos de trabalho e serviços.

J.A.- Como está a situação financeira da autarquia neste novo mandato?
P.J.- Somos uma freguesia pequena, a mais pobre do concelho, por isso, a verba de FAFE é bastante reduzida.

J.A.-A câmara presta apoio às juntas de freguesia?
P.J.- Sim. A Câmara Municipal à qual está a agregada a nossa freguesia presta bastante apoio à nossa Junta, neste novo mandato.

J.A.- Que mensagem quer transmitir à população da sua autarquia.
P.J.- Que apesar de sermos uma freguesia com reduzidos serviços, pela nossa dimensão nunca desistam de permanecer aqui, pois a ausência de serviços pode ser uma desvantagem, mas o fato de termos uma população mais reduzida beneficiamos de outra qualidade de vida.

Go top